PROJETO VLP


                           

Na gestão do Prefeito de São Paulo - Celso Pitta, foi lançado um projeto inovador para o transporte de média capacidade de passageiros batizado como “Fura-Fila” - hoje com o nome de “Expresso Tiradentes”. Este projeto inicial previa além da construção de um corredor aéreo (segregado), a utilização de Trólebus do tipo Bi-articulado com capacidade para 260 passageiros cada Trólebus. O primeiro protótipo foi fabricado com a Participação das Empresas:


                          

- Volvo - Com o fornecimento do Chassi;
- Marcopolo com o fornecimento da carroceria:
- Powertronics com o fornecimento do sistema de tração.
- Eletrobus com participação no desenvolvimento do projeto, integração e ajustes do protótipo.
Após todos os ajustes necessários o Protótipo seguiu para a pista de testes instalada no Autódromo de Interlagos onde teve resultados excelentes de operação. Após isto, o protótipo seguiu para rodar em caráter de testes em um trecho do corredor do Fura-Fila que liga o centro da cidade ao bairro do Sacomã.


                          

Logo em seguida mais dois protótipos foram preparados pela equipe Técnica do Eletrobus para operarem no corredor do Fura-Fila. Foram utilizados os dois Trólebus Articulados que estavam na garagem do Eletrobus (8000 e 8001) e instalados 02 sistemas de tração (forma redundante conforme o primeiro protótipo para evitar paralisações no corredor e interromper o trajeto). Infelizmente na gestão da prefeita Marta Suplicy, este projeto foi totalmente  alterado passando a ser chamado de “Paulistão”, onde foi removida toda a infra-estrutura já instalada de rede aérea impossibilitando a operação de veículos elétricos ecologicamente corretos, principalmente por se tratar de um corredor totalmente segregado, que passa próximo do centro de São Paulo onde os níveis de poluição são mais elevados, para a colocação de Ônibus convencionais à diesel. Foram fabricados para o projeto Paulistão, 15 unidades de ônibus híbridos elétricos (diesel-elétrico).